Antes

1. Antes de agendar a visita de sua turma, o professor deve rememorar conhecimentos pertinentes ao período Holandês em Pernambuco, focalizando as produções dos pintores de Nassau e de forma especial o legado de Albert Eckhout. Se possível, ir até o Instituto Ricardo Brennand conhecer a mostra, o espaço arquitetônico e a paisagem local, para enriquecer o desdobramento que poderá ter sua prática pedagógica.

2. Em seguida, procurar saber os dias e horários disponíveis e a duração da visita. Este é o momento de fornecer os dados da escola, série, número de alunos e de professores que acompanharão a turma.

3. O Instituto Ricardo Brennand dispõe de material de divulgação (folhetos, catálogos, cartazes) que poderá ajudar o professor a motivar seus alunos. Um bate-papo com o pessoal do serviço educativo será de muita ajuda para montar a programação da visita.

4. Os técnicos vão orientar também sobre as normas de visitação. Por exemplo, as obras não podem ser tocadas nem fotografadas, pois o suor, a acidez da pele e o fleche da câmera podem comprometer as telas de 358 anos. Também não é permitido correr, fumar e comer nas áreas de exposição.

5. Em sala de aula é importante despertar a curiosidade dos alunos a respeito do que eles vão ver: 24 obras do pintos holandês, sendo 12 naturezas mortas e 12 obras com dimensões que chegam a 168x294cm e um espaço multimídia onde sons, cheiros e movimentos envolverão o espectador da amostra. Para valorizar a bagagem cultural da turma e tornar as aprendizagens mais significativas, vale pedir aos alunos que narrem suas viagens e visitas aos jardins botânicos, zoológicos, museus etnográficos e a outras exposições.

Durante

6. Afinal, chega o dia tão esperado. Antes de sair para o Instituto Ricardo Brennand, é bom conferir se todos estão bem de saúde, ir ao banheiro, beber água, lanchar... Esse é também o momento de conversar com os alunos sobre as normas de visitação e relembrar as condutas de boa convivência.

7. É importante cumprir o horário combinado, saindo da escola com certa antecedência. Sugerimos a chegada 20 minutos antes do horário agendado. A chegada atrasada acarretará na diminuição do tempo de visita. Em caso de imprevistos, avisar ao pessoal da ação educativa.

8. Durante a visita e demais atividades, nem sempre os monitores conseguem atender a todos. Por isso, os professores devem estar atentos, colaborando na condução e disciplina da turma. Sugerimos que um grupo de 50 alunos seja acompanhado por dois professores, pois na hora do atendimento serão subdivididos em dois grupos de 25 alunos.

9. O momento da visitação é um processo no qual todos estão interagindo e aprendendo. É indispensável que os professores participem, solicitando explicações aos monitores, enfim, demonstrando interesse por tudo o que está sendo visto e ouvido.

10. Ao final da visitação, os monitores costumar entregar um questionário ou ficha de avaliação, cujas respostar servirão de referência para o Instituto aperfeiçoar o seu atendimento. Logo não deixe de dar o retorno, apreciando o desempenho da equipe técnica e dando sugestões.

Depois

11. De volta à escola, é hora de avaliar a experiência. Para que a visita da mostra de Eckhout tenha sentido, é preciso verificar o que foi assimilado e o que poderia ser mais bem esclarecido. As atividades de avaliação podem constar entre outras, de debate, dramatização, pesquisa etc.

12. Agora "mãos à obra" para executar com sua escola o Projeto Pedagógico Multidisciplinar envolvendo o legado de Albert Eckhout como ponto de partida ou um relato de experiência vivenciada em sala de aula com essa mesma temática e participar no concurso na categoria escola ou na categoria professor.

13. Não se esqueça de estimular os seus alunos para também participarem do concurso, elaborando produções literárias ou produções visuais, enfocando o olhar de Eckhout sobre as paisagens, a fauna, a flora e os tipos étnicos brasileiros, com o seu olhar consciente, crítico e criativo de jovem do presente com visão de futuro.

Participe de nossas Ações Educativas
 
Visitas Monitoradas

Estaremos oferecendo diferentes fórmulas de visitas especialmente adaptadas ao público jovem e educadores.

Visita Conto: Crianças de 2 a 6 anos.
Um monitor anima essa visita por meio de histórias e lendas. O artista e suas obras são os principais atores dessas histórias que transportam as crianças para o mundo maravilhoso da arte.
Duração: 1 hora.
Grupos de 10 para 1 monitor.

Visita Descoberta: crianças de 7 a 11 anos.
Esta visita serve de pretexto para revisitar a história do Brasil e descobrir as várias paisagens de ontem e de hoje: o homem, os frutos, os bichos, a fauna e flora... No mundo da arte, descobriremos o retrato e a paisagem.
Duração: 1 hora.
Grupos de 20 para um 1 monitor.

Visita Temática: Para crianças e adolescentes de 12 a 18 anos. Esta visita discutirá quem é o artista e a importância de sua obra para o patrimônio cultural da humanidade, além de aprofundar temas como A pluralidade das etnias; O encontro das culturas e a Celebração da natureza. Outros temas poderão ser propostos à equipe de monitores pelo professor. Agende um encontro!
Duração: 1 hora.
Grupos de 25 para 1 monitor.

Visita Conferência: Este encontro visa aproximar o artista e sua obra, aprofundando questões do campo das ciências humanas e da arte para o público universitário.
Duração: 1 hora.
Grupos de 25 para 1 monitor.

Atendimento

Terça, sexta e sábado, das 08:30 às 20:00h.
Quarta e quinta, das 08:00 às 18:00.

Visitas Autônomas

A visita autônoma é uma visita de grupo guiada seja por um conferencista exterior à exposição, seja por um professor, seja por um responsável do grupo (educador social, popular, mediador sociocultural, responsável de associação).
Terça, sexta e sábado, das 08:30 às 20:00h.
Domingo, das 10:00 às 17:00.
O responsável pelo grupo poderá participar inscrevendo-se nas atividades estágios de Informação e procurar a Sala do Professor (ver programa e horário das atividades).

Para fazer o agendamento:

1. Calcule quantos grupos de 25 pessoas visitarão a exposição, incluindo acompanhante;
2. Selecione o tipo de visita que deseja;
3. Tenha em mãos os dados da escola: nome, endereço completo, número de telefone, fax, e-mail e nome do professor responsável.

O Instituto Ricardo Brennand, em parceria com a Secretaria de Educação e Cultura do Governo de Pernambuco, Secretarias de Educação Municipais das Cidades do Recife, Olinda, Jaboatão dos Guararapes e Camaragibe; Universidade Federal de Pernambuco, Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos e Instituto Arte na Escola, promove a mostra Albert Eckhout volta ao Brasil 1644 - 2002. A proposta é desenvolver uma ação educativa voltada para:

1. Serviço de monitoria aos visitantes espontâneos das exposições;
2. Mediação pedagógica para alunos das escolas públicas e particulares agendadas.

Informações Gerais

Período da Mostra: 13 de setembro a 24 de novembro de 2002.
Horários de visita monitorada para escolas: terça, sexta e sábado, das 08:30 às 20:00h. Quarta e quinta, das 08:30 às 18:00h.
Duração da visita: 1 hora.
Idade mínima do aluno para visita: 2 anos.
Número de acompanhantes.
· Educação Infantil e Fundamental 1: dois acompanhantes por grupo de 20 alunos.
· Demais níveis de ensino: um acompanhante por grupo de 25 alunos.

Como visitar a exposição

Instituto Ricardo Brennand
Alameda Antônio Brennand
São João - Várzea
50741-904
Recife - Pernambuco - Brasil